Aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft foi bloqueada

  • Bianca Jurado
  • 1 ano atrás
  • 2 Comentários
  • Copiar link

Após meses de análise, a Autoridade de Concorrência e Mercados do governo do Reino Unido resolveu bloquear a compra da Activision Blizzard pelo Xbox, principalmente por causa das preocupações com jogos em nuvem. A CMA diz que tomou sua decisão depois de analisar os impactos para os jogos em nuvem, já que segundo o acordo da Microsoft “alteraria o futuro do mercado de jogos em nuvem em rápido crescimento, levando a uma redução da inovação e menos opções para os jogadores do Reino Unido nos próximos anos. ”, escreveu a organização de vigilância em seu site do governo.

De acordo com o CMA, não parecia comercialmente viável para o Xbox limitar jogos da Activision Blizzard, como Call of Duty, para seus consoles.  No entanto, o CMA continuou preocupado com o impacto potencial dos jogos em nuvem, principalmente devido à presença significativa da Microsoft nesse mercado.  Apesar disso, a Microsoft não forneceu nenhuma solução satisfatória para essas preocupações.

“A Microsoft tem uma posição forte em serviços de jogos em nuvem e as evidências disponíveis para a CMA mostraram que a Microsoft consideraria comercialmente benéfico tornar os jogos da Activision exclusivos para seu próprio serviço de jogos em nuvem”, afirmou. “O acordo reforçaria a vantagem da Microsoft no mercado, dando-lhe controle sobre importantes conteúdos de jogos como Call of Duty, Overwatch e World of Warcraft.”

Após o veredicto, Brad Smith, presidente da Microsoft, afirmou que a empresa já havia se comprometido a tornar os jogos populares da Activision Blizzard acessíveis em 150 milhões de dispositivos. Ele enfatizou ainda mais o compromisso da empresa em manter esses acordos por meio de soluções regulatórias. “Estamos especialmente desapontados porque, após longas deliberações, esta decisão parece refletir um entendimento falho deste mercado e a forma como a tecnologia de nuvem relevante realmente funciona”.

Após o veredicto do CMA, a Microsoft está se preparando para recorrer da decisão.  O CEO da Activision, Bobby Kotick, expressou confiança em sua defesa, afirmando que o acordo promove uma competição saudável e tem potencial para fortalecer a posição do Reino Unido na indústria de tecnologia.

A Activision Blizzard emitiu um comunicado criticando o relatório da CMA, afirmando que vai contra os esforços do Reino Unido para promover um ambiente hospitaleiro para startups de tecnologia. A empresa afirma ainda que as conclusões do relatório são prejudiciais para os cidadãos do Reino Unido, que já se debatem com um clima económico desfavorável.

“Reavaliaremos nossos planos de crescimento para o Reino Unido. Inovadores globais, grandes e pequenos, observarão que, apesar de toda a sua retórica, o Reino Unido está claramente fechado para negócios.”

Em fevereiro, a CMA apresentou apreensões sobre a aquisição da Microsoft que precisavam ser resolvidas para que o negócio recebesse a aprovação do Reino Unido.  Entre outras, as preocupações estavam centradas na cobertura inadequada da Microsoft de vários modelos de negócios para serviços de jogos em nuvem e sua falta de transparência com provedores interessados ​​em lançar versões alternativas de jogos em sistemas operacionais diferentes do Windows, por exemplo.

A CMA reconheceu um potencial de discórdia entre a Microsoft e outros provedores de serviços de jogos em nuvem em um mercado em rápida evolução. Caso isso ocorra, medidas regulatórias precisariam ser tomadas pela CMA, em vez de depender do mercado para se auto-regular naturalmente.

Antes da decisão da CMA, a aquisição da Microsoft parecia correr bem, já que o negócio foi sancionado na Arábia Saudita, Brasil, Sérvia, Chile, Africa do Sul e Japão. O acordo ainda não foi sancionado nos EUA levando a Federal Trade Commission a processar a Microsoft para cancelar a aquisição. A Microsoft está travando uma batalha a caminho do tribunal. Confira o que aconteceu após a aquisição da Microsoft-Activision para saber mais.

Veja postagens relacionados

  • The Run: Got Next – O jogo de basquete freestyle que promete revolucionar em 2025

    Se você é fã de basquete de rua e adora partidas cheias de estilo e diversão, com certeza vai se animar com a novidade que acabou de ser anunciada! A Play by Play Studios, fundada em 2021 pelo ex-produtor da EA, Scott Probst, revelou o lançamento do jogo de basquete freestyle "The Run: Got Next" para PS5, Xbox Series e PC em 2025. 🏀🕹️ O jogo promete trazer partidas 3v3 cheias de momentos únicos, representando o esporte com um ritmo…
    Saiba mais
  • Humble Games passa por reestruturação para enfrentar desafios

    A indústria dos jogos indie sempre foi conhecida por ser repleta de desafios, e a Humble Games não está imune a eles. Recentemente, surgiram rumores de que a empresa estaria despedindo todos os funcionários. No entanto, a verdade por trás disso tudo é uma grande reestruturação nas operações da empresa. De acordo com a Humble Games, a reestruturação é uma resposta aos "tempos econômicos desafiadores para a publicação de jogos indie." Em um comunicado oficial, a empresa explicou que essa…
    Saiba mais
  • FC 25 revela sua estrela da capa, e ele é diferente de qualquer estrela anterior na história da franquia

    A EA Sports divulgou oficialmente o FC 25, a mais nova edição de sua série de futebol profissional, e confirmou Jude Bellingham, de 21 anos, como o astro global da capa. Bellingham, um meio-campista inglês que atua pelo Real Madrid, é o jogador mais jovem a figurar na capa de um jogo de futebol da EA Sports até agora, e ele também aparecerá na capa do EA Sports FC Mobile. A arte da capa mostra Bellingham fazendo sua popular comemoração…
    Saiba mais